Contador de Visitas

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Post especial.


Hoje não vou falar do bar do japa, da Carol, nem de bebidas.

Vou falar de uma coisa que tá me irritando muito, inclusive, nesse exato momento aqui no trabalho.
Todos os funcionários daqui, tem que imprimir uma coisa desde que começaram a trabalhar no banco, não sei exatamente o que é. Mas sei que É MUITO PAPEL.
O que me dói é que eles tinham a opção de colocarem tudo em um pen drive ou em um Cd. Mas não, eles preferem pedir cinco reais de cada um, ir em um camelô e comprar resmas e mais remas de papel pra imprimir um monte de papel que daqui a uns 5 anos não vai servir pra nada mais do que ocupar espaço em prateleiras.

O Banco do Brasil se diz um banco muito ecológico e tal, mas na prática não é nada disso. Eles deviam investir em educação ambiental pros funcionários. Acredito que isso seja só ignorância da parte deles, eles não entendem que isso prejudica sim o planeta.
E quando eles dizem, "Ah Larissa, coloca mais papel ai na impressora, deixa de ser miserável!" confirma a minha tese da ignorância de pessoas como essas que se dizem inteligentes e estudadas.

Estava eu merendando e notei outra coisa. Muitos do funcionários daqui não têm copo de alumínio, e usam copos plásticos para cada vez que vão beber água.

Fiz uma simples conta e cheguei a essa coisa horrível aqui embaixo:

·         Se uma pessoa bebe água 6 vezes por dia (incluindo o copo de café), logo ela terá utilizado 30 copinhos de plásticos por semana.
·         Em um mês, se vão 120 copos.
·         Logo, em um ano são 1.440 copos plásticos.
·         No mínimo, um funcionário do banco, deve trabalhar uns 25 anos aqui, ou seja, são nada mais, nada menos do que 36.000 copos.

E tudo isso, podia ser substituído, por um simples copo de alumínio.
Não é de partir o coração?

Eu não vou ser hipócrita e dizer que eu não uso copo plástico. Eu uso sim, mas só quando tem suco ou alguma coisa que eu não possa tomar na minha garrafinha. E mesmo assim, quando uso um copo pra tomar suco ou café, eu lavo e guardo na geladeira. Não dói nada em mim, por que neles doeria?

Bom, desculpem meu desabafo, é que é realmente doloroso conviver com isso diariamente.

Então é isso, troque suas impressões por digitalizações, pen drivers e CDs e adote seu copo plástico. Garanto que é SUPER FÁCIL e você vai se sentir tão do bem, pelo menos eu me sinto.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Negritos doidões



04/11/10 ás 15:10 – As horas que arredondei.
Ontem foi sussa. Não fiz nada demais. Fiquei só em casa, na Internet mesmo. Um dia chato e cheio de tédio.

08/11/10 ás 13:20 – Estranho, não escrevi sexta :S
Éhr... foi assim, na sexta fui para o bar do japa com a Carol. Lá bebemos só de leve, vinho e acho que só. Foi legal... Fui deixar a Carol na parada e fui pra casa.
No sábado de manhã tinha uma reunião na Abbem com os pais, fomos eu e a mamãe, íamos chegar atrasadas, mas deu tempo. Não foi nada de mais, só dando os carões básicos, chatice.
Saímos mais cedo, voltei com a mamãe também.
Fui pra casa, fiquei na Internet, depois a mamãe chegou com o almoço.
De tarde dormi, tive um sonho ruim, que um trator bati em mim e saía sangue do meu nariz e da minha boca. Então acordei com meu alarme do celular tocando, deu uma dor no meu coração, deve ter sido do susto, fiquei com tanta dor que deu soluço, e a cada vez que eu soluçava era uma dor mais forte que dava no meu peito. Ai eu levantei de uma vez e bati minha cabeça na janela, com tudo. Uma acordada desastrosa. Depois de tomar uma garrafinha inteira de água pra passar o soluço me deitei na rede e fiquei assistindo televisão enquanto a Carol chegava. Quando ela chegou fui tomar banho e fomos no Shopping Benfica olhar outro modem pra Internet, por que O MODEM DA CLARO NÃO PRESTA! Uma dica pra vocês, não usem Internet 3G da Claro, é uma furada, não presta mesmo.
Bom, depois voltamos pra casa, nos arrumamos e fomos pro dragão do mar. No meio do caminho, como ritual, passamos no Benfica e compramos bebida. Lá foi aquelas coisas, eu bebi, todo mundo mandando eu dançar tchubaruba, um monte de gente dizendo que eu pareço com a Mallu Magalhães, a Carol ficando com raiva de tudo, e eu só rindo e fazendo todo mundo rir. Estilo bobo da corte ¬¬
Depois fomos pra casa, chegando lá foi o terror, como já ouvi uns neguim dizendo que eu falo demais aqui, não vou falar o que aconteceu nessa sábado. Só pra vocês pararem de reclamar, HAUHAUA. (y)
Só sei que domingo de manhã acordei e a Carol não estava mais lá em casa. Liguei pra ela e ela ainda estava na parada. Pedi pra ela voltar e ela voltou. Conversamos só um mais ou menos, mas ela foi embora mesmo assim.
Passei o dia inteiro na Internet. Cheguei ao cúmulo do tédio. Depois eu e a Carol combinamos de ir assistir cinema no Benfica, comprei os ingressos e tudo mas quando a gente ia entrar o cara pediu a carteirinha, eu nunca levo, por que sempre entro sem ela. Mas excepcionalmente hoje, ele pediu. A gente já tinha comprado chocolate e tudo pra comer no cinema... Enfim, pedi meu dinheiro de volta e ficamos na praça de alimentação comendo chocolate. Depois ainda comemos sushi.
Ai deixei ela na parada e depois fui pra vovó, era aniversário do Levi, falei com todos e fui pra casa.
Assisti pânico, foi muito engraçado.
Demorei a dormir, mas consegui.

09/11/10 ás 16:56 – Terminei de ler "Horror em Amytiville" (tenho quase certeza de que não escreve assim). É muito legal, mas não recomendo pra quem não gosta de ter medo.
Ontem foi morgado, depois do trabalho fui pra casa, fiquei na Internet até a hora de jantar, fui pro quarto. Meu óculos de grau chegou, tentei usar pra ler, mas ficou muito embaçado e ruim então pedi pra mamãe levar no oculista pra ver se estava certo mesmo.
Hoje de manhã no colégio foi uma graça, como sempre. Tô me aproximando dos meus amigos e me afastando dos estudos. Boa troca?

Ps.: Coloquei negrito aleatoriamente em palavras interessantes. Mas ficou mais aleatório do que interessante.